domingo, 29 de outubro de 2017

Mesmo com derrota na última rodada, Víkingur é bicampeão


O Víkingur é o campeão faroês de 2017. Com o título praticamente assegurado, a equipe de Norðragøta podia até perder (o que acabou acontecendo) que ainda seria campeã - tinha vantagem de 8 gols de saldo sobre o KÍ.

O líder do campeonato recebeu o EB/Streymur, e saiu atrás no placar aos 17', quando Ari Olsen pôs os visitantes em vantagem. Gert Hansen empatou aos 28', mas no segundo tempo, aos 74', Ari Olsen marcou novamente e recolocou o EB/Streymur na frente.

Enquanto isso, o KÍ enfrentava o NSÍ, precisando vencer por uma diferença de 7 gols. Venceu por 3 a 1. Albert Adu abriu o placar aos 19', Páll Klettskarð aumentou aos 43', Árni Frederiksberg diminuiu aos 62' e Jóannes Bjartalíð fez o terceiro aos 69'.

O problema do KÍ foi o excesso de empates. Na reta final foram três 0 a 0 consecutivos contra Víkingur, HB e TB/FCS/Royn. A equipe de Klaksvík acabou o campeonato com 10 empates e perdeu apenas 3 vezes (menos que o campeão, que perdeu 5).

Nos outros jogos, o HB empatou com o B36 em 1 a 1. O Skála venceu o TB/FCS/Royn fora de casa por 2 a 0. E o 07 Vestur goleou o ÍF em Fuglafjørður por 5 a 1.

Effodeildin 2017

Liga dos Campeões: Víkingur
Liga Europa: KÍ, B36 e NSÍ (como campeão da Copa das Ilhas Faroe)
Rebaixado: ÍF

O ÍF acabou sendo o único rebaixado da temporada. É que Víkingur II e KÍ II terminaram em segundo e terceiro na 1. deild, e o regulamento não permite que times de base disputem a primeira divisão. O B68, que terminou em quarto, ainda poderia ter sido promovido caso tivesse ficado com a terceira posição, mas não teve competência para conseguir isso em um campeonato apenas com AB e Giza Hoyvík e mais outros sete times de base. Assim, o AB, campeão da 1. deild, foi o único promovido.

Artilheiro da liga nos últimos quatro anos, Klæmint Olsen, do NSÍ, foi superado pelo nigeriano Adeshina Lawal, que marcou 17 contra 16 do faroês.

Gols dos jogos da última rodada











A festa do título do Víkingur



Veja a galeria de imagens.

Temporada histórica: EBS/Skála conquista a 1. deild kvinnur e completa a dobradinha


Depois de quatro temporadas consecutivas como vice-campeão, o EB/Streymur/Skála finalmente conquistou a 1. deild kvinnur, dando fim à sequência de 17 títulos consecutivos do KÍ.

A equipe já havia conquistado também a Copa Faroesa Feminina, vencendo o HB na final por 3 a 2, e eliminando o KÍ nas semifinais, deixando-as fora de uma final pela primeira vez desde 1998. Se cada conquista foi histórica, a temporada foi ainda mais por deixar as azuis de Klaksvík de mãos vazias.

O jogo que selou o título na liga foi uma final em campeonato de pontos corridos, com a vantagem do empate para o EBS/Skála. Jogando em Eiði, a equipe ficou em desvantagem aos 39', quando Malena Josephsen abriu o placar. Ainda no primeiro tempo, aos 45', Heidi Sevdal empatou, e virou no segundo, aos 77'. O fim de jogo foi dramático. Rannvá Andreasen empatou tudo aos 86', mas o time da casa suportou a pressão e pôde soltar o grito de campeão pela primeira vez.


Desde que foi formado, em 2013, o EBS/Skála se colocou como o grande concorrente do KÍ. O grande diferencial nesta temporada foi sem dúvida a aquisição da ex-HB Heidi Sevdal, artilheira em 2013, 2014 e 2015 e melhor jogadora da liga em 2015.

A atacante terminou a temporada com 33 gols em 19 jogos, consagrando-se mais uma vez como a artilheira. Mas ainda contou com a ajuda de seu ex-time. O KÍ era o líder da liga até tropeçar duas vezes no HB, empatando em Tórshavn em 1-1 em 3 de setembro e perdendo em casa por 0-4 em 1 de outubro.

Com o título, o EBS/Skála ganhou o direito de disputar a UEFA Women's Champions League, e será apenas a segunda equipe a representar as Ilhas Faroe na competição.



Veja a galeria de imagens do jogo e da comemoração.

sábado, 16 de setembro de 2017

Finais das Copas: NSÍ e EB/Streymur/Skála campeões

Nos dias 26 de agosto e 9 de setembro aconteceram as finais das Copas das Ilhas Faroe masculina e feminina. Veja como foram os títulos de NSÍ e EB/Streymur/Skála!


O B36 começou melhor, sendo Róaldur Jakobsen o homem mais perigoso da equipe branca, mas logo o NSÍ começou a rondar a área adversária. Aos 36' Petur Knudsen mandou a bola pra área e Klæmint Olsen errou a cabeçada, que acabou servindo como passe para Einar Tróndargjógv, que bateu cruzado por baixo das pernas do goleiro Rói Hentze.

Depois do gol o time de Tórshavn ainda teve uma grande chance com Alex Mellemgaard, mas a bola passou ao lado da trave. No segundo tempo a equipe em desvantagem tentou colocar pressão, mas não conseguiu criar nenhuma chance clara de gol e a taça acabou indo para Runavík.

Foi o terceiro título de copa do NSÍ, que não vencia a competição desde 2002.

Veja as galerias de imagens do jogo e da comemoração.

Melhores momentos:



EBS/Skála conquista título inédito


No sábado passado, HB e EB/Streymur/Skála fizeram a decisão da Copa das Ilhas Faroe feminina, a primeira em 18 anos em que o KÍ não é um dos finalistas.

A equipe de Tórshavn abriu o placar rapidamente, aos 4', com Lea Hansen, mas logo sofreu o empate, aos 6', em gol de Ansy Sevdal. O EBS/Skála conseguiria a virada ainda no primeiro tempo, aos 43', com gol de Birna Johannesen.

Na parte final do segundo tempo, aos 78', Birna marcou mais uma vez, em um golaço com assistência de Margunn Lindholm. O HB diminuiu quatro minutos depois em jogada individual de Milja Simonsen, mas a reação parou nisso.

Foi o primeiro título da história do EB/Streymur/Skála, que espera acabar com a hegemonia do KÍ também na 1. deild kvinnur.



Veja a galeria de imagens do jogo.

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Como foram os faroeses nas competições europeias

Com o fim da participação do KÍ na UEFA Women's Champions League, vamos ver como foram as campanhas dos faroeses nas competições europeias na temporada 2017-18.

UEFA Europa League

Os três times faroeses na Europa League tiveram participação breve. Apenas o B36 ofereceu resistência ao seu adversário, apesar do KÍ ter sido o único a não perder um de seus jogos.

AIK vs KÍ


O primeiro jogo, disputado no Gundadalur, em Tórshavn, acabou em 0 a 0, mas o segundo foi um atropelo do time sueco. O AIK fez todos os gols da vitória por 5 a 0 no primeiro tempo, o que me leva a crer que a goleada só não foi maior por que o time sueco não quis. Destaque para Eero Markkanen, que marcou um hat-trick.



NSÍ vs Dinamo Minsk


Diante das circunstâncias, a classificação do NSÍ até pareceu possível, e seria a mais improvável, caso tivesse acontecido. O primeiro jogo terminou em 2 a 1, com Petur Knudsen marcando um golaço de falta aos 86'.



No segundo jogo, disputando em Toftir, o Dinamo Minsk teve um jogador expulso aos 6', mas mesmo assim a diferença entre as equipes é grande e o time bielorrusso venceu com dois gols de Anton Saroka.



B36 vs Nõmme Kalju


O B36 era quem tinha um adversário de nível mais próximo e por isso foi quem mais deu trabalho. A equipe da capital faroesa perdeu na Estônia por 2 a 1, em jogo que podia ter saído com um resultado melhor. O jogo nas Ilhas Faroe estava empatado em 1 a 1 com pressão faroesa quando um contra-ataque resultou no gol da classificação da equipe visitante.



UEFA Champions League

Em sua primeira participação na UCL, o Víkingur fez quatro partidas e saiu com saldo positivo, com 2 vitórias, 1 empate e 1 derrota.

Víkingur vs Trepça'89


O campeão faroês deu as boas vindas ao primeiro time kosovar a disputar a Champions League e venceu em Tórshavn com gols de Gunnar Vatnhamar e Adeshina Lawal.



O jogo em Mitrovica começou com muita pressão do time da casa, mas virou a favor do Víkingur quando o Trepça'89 teve um jogador expulso, aos 33'. Depois disso, Sorin Anghel abriu o placar, aos 37', Perparim Islami fez contra aos 40' e Sølvi Vatnhamar marcou dois no início do segundo tempo, aos 52' e 59'. O time kosovar diminuiu com Florent Hasani aos 65'.



Víkingur vs FH

Na segunda fase preliminar o adversário foi o FH, do goleiro Gunnar Nielsen.

Emil Pálsson abriu o placar para o time islandês no início do segundo tempo, aos 49'. Adeshina Lawal marcou de pênalti aos 73' e garantiu um empate para o campeão faroês.



Com o bom resultado da primeira partida, dava para sonhar com a classificação para a terceira fase, mas o Víkingur sucumbiu à pressão do FH nos treze minutos finais. O time islandês abriu o placar com Steven Lennon de pênalti aos 79' e fez o segundo aos 91' com Þórarinn Ingi Valdimarsson.



UEFA Women's Champions League

Fase preliminar - Grupo 7

O KÍ caiu no grupo 7 da fase preliminar, disputado na Croácia.

Evy, Liljan e Eyðvør marcaram os gols do KÍ na UWCL.
Foto:
Na primeira partida as faroesas sofreram uma dura goleada para o Stjarnan, da Islândia, por 9 a 0. Na segunda, perderam para o time da casa, o Osijek, por 4 a 0. E venceram o Istatov, da Macedônia, por 6 a 1 na terceira, com quatro gols de Evy á Lakjuni e um de Liljan Jacobsen e Eyðvør Klakstein.



Faroeses em equipes estrangeiras

O SK Brann, onde joga o meia esquerdo Gilli Sørensen, entrou na segunda fase preliminar da Europa League, mas foi eliminado na mesma fase. A equipe norueguesa venceu o Ružomberok, da Eslováquia, fora de casa por 1 a 0, mas foi surpreendido em casa e perdeu por 0 a 2. Gilli foi titular nos dois jogos.

O já citado FH encarou o Maribor, da Eslovênia, na terceira fase preliminar da Champions e perdeu os dois jogos por 1 a 0. Como os eliminados nessa fase ainda têm a chance de disputar a Europa League, o time islandês enfrentou o Braga nos play-offs, mas também perdeu os dois jogos, por 2 a 1 na Islândia e 3 a 2 em Portugal.

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

A participação faroesa no Euro sub-17

Ilhas Faroe disputou o Euro sub-17 em maio na Croácia.
Foto: in.fo
Em março as Ilhas Faroe fez história e se classificou para a fase final de uma competição pela primeira vez na história. A seleção sub-17 masculina terminou em segundo em um grupo com Irlanda, Eslováquia e Chipre e garantiu sua vaga no torneio na Croácia.

A estreia contra a Escócia no dia 2 de maio deixou uma boa impressão. Os escoceses passaram pelas eliminatórias com 100% de aproveitamento e apenas um gol sofrido. A derrota veio com gols apenas no segundo tempo, marcados por Innes Cameron e Jack Aitchinson, aos 59' e 68', respectivamente.



A segunda partida, contra a França em 6 de maio, acabou não sendo tão boa. Com três de Amine Gouiri, dois de Maxence Caqueret e um de Mathis Picouleau e Yacine Adli, os franceses golearam por 7 a 0, a maior goleada da história da competição -- quatro dias depois a Irlanda também perdeu de 7 (para a Alemanha) e dividiu o recorde negativo com as Faroe.

Clique aqui para ver os gols.

A última partida foi em 9 de maio, contra a Hungria, que venceu por 4 a 0 com dois gols de Dominik Szoboszlai, um de Alexander Torvund e um gol contra de Andrias Edmundsson.

As Ilhas Faroe encerrou sua participação com três derrotas, 13 gols sofridos e nenhum marcado a seu favor, mas ficará na história por mostrar que os faroeses podem sonhar em disputar grandes competições, mesmo que o objetivo seja perder de pouco, o importante é chegar lá.